segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

1

O melhor de 2012…By me!

1 comentários

Olá Pessoal!

Eu sei que vou soar clichê, mas vamos lá…esse ano passou depressa, né?

Mas de verdade, parece que foi ontem em que eu fazia planos de como não iria fazer anda, por causa do que estou planejando ano que vem (shiii…ainda é segredo), e aqui está 2013!

Para não nos esquecermos de tudo de bom (e ruim) que aconteceu esse ano, aqui está a minha lista.

Assim como em 2011, a lista se estende para outros assuntos não só literatura, porque afinal apesar de gostarmos muito, não vivemos só de livros!

Literatura

> Melhor Livro

A Culpa é das Estrelas de John Green

http://data.whicdn.com/images/43802294/8201033590_a28dcf8de8_z_large.jpg

Sei que esse livro vai estar na lista de melhores livros do ano de várias pessoas, e com razão. Livro maravilhoso, bem construído e que me agradou de diversas formas possíveis!

Ainda vai sair resenha dele, depois de ter que ler 3 vezes para conseguir passar alguma coisa do que senti para o papel. Mas já posso adiantar que não foi o suficiente!

Decepção: Charlotte Street (Resenha) – O livro não é ruim, mas cabe as editoras atenção com a venda dos livros. Não vale colocar que é uma estória de amor para atrair leitores, e deixar eles se decepcionarem depois.

> Melhor livro Nacional

A Última Princesa de Fabio Yabu

http://jbchost.com.br/madeinjapan/imgmat/2012/06/13_a_ultima.jpg

(Resenha) Tenho que revelar que fui muito desatenta esse ano com a Literatura nacional, porém o que li, gostei muito.

Como foi o caso do pequeno, e completamente fofo, A Última Princesa do Fabio Yabu.

Uma fábula da nossa terra, feita por alguém muito competente. Ri e chorei com essa estória!

 

> Melhor Descoberta

Sophie Kinsella

http://3.bp.blogspot.com/-4raqX3IdmdE/TaaIrhpx43I/AAAAAAAABbs/Kf5OaW4CDSk/s1600/15620.png.jpg

Eu sei, ela já estava aí faz um tempão, mas eu nunca tinha parado para ler um livro dela. Entretanto, a perspectiva que os livros da Marian Keys estavam acabando, e que ficaria sem uma autora de chick-lit para ler, me levaram até ela.

E BOW! Amei, e estou amando mais a cada livro. Ainda não peguei a série Becky Bloom(estou lendo os livros solos primeiro), mas está na lista! =D

(Resenhas)

> Melhor Série

Série Cinquenta Tons

http://static.guim.co.uk/sys-images/Guardian/Pix/pictures/2012/7/16/1342460730754/Fifty-Shades-of-Grey-011.jpg

Eu sei que tem várias pessoas que viraram o nariz para a série, e infelizmente, para quem gosta dela.

Por isso, fico feliz de ter lido antes de ter uma opinião pré-formada do livro. Peguei para ler para entender o buzz nos Estados Unidos, só para ficar tão fascinada quanto elas!

A série tem tantas nuances, que eu e a Thais do Insane Little Things até fizemos um especial sobre ela!

Tudo o que foi falado dele, AQUI!

> Melhor Debut

Jennifer E. Smith e a

The Statistical Probability of Love at First Sight

http://3.bp.blogspot.com/-I2T4Rqol84I/T0_sEGvD-3I/AAAAAAAAA7U/1WBmb8BCEp4/s1600/The+Statistical+Probability.jpg

Eu admito, li pela capa e pelo título sensacional.

Só que além disso, o livro trás uma estória fofa, bacana e realista ao mesmo tempo.

Ainda não fiz resenha pra ele, mas em 2013 ela deve aparecer por aqui. Mesmo assim, vale a pena correr atrás porque o livro merece ser lido.

> Melhor evento/Encontro/Sessão literária

Clube do Livro: Virando à Página

Não escolho um evento especifico, mas os eventos em si do Clube do Livro, Virando a Página. Não fui em todos, mas sempre que ia a sensação era de que estava fazendo uma coisa que merecia depois da semana corrida. É tão bom encontrar pessoas que gostam de livros como a gente, e simplesmente sentar e conversar com elas.

Sem contar que tive a oportunidade de encontrar e rever várias pessoas, mais regularmente. Além de perder várias calorias, com as já tradicionais caminhadas do Pátio Paulista (local onde o clube geralmente é realizado), até o Conjunto Nacional com a Thais da Mata. =D

Variedades

> Melhor Show

The Vaccines no Cine Joia

http://factoide.com.br/wp-content/uploads/imagem-1-7.jpg

Hoje vi uma matéria na Rolling Stones, sobre o shows em lugares mais intimistas, e como o Brasil está descobrindo isso. 

E tendo como melhor show do ano, os meninos ingleses do The Vaccines, no Cine Joia, casa que tem capacidade para no máximo 1.500, não posso deixar de validar essa opinião.

Claro que não é toda banda que se comporta fazer um show em um lugar pequeno, porém essa proximidade é tão bem vinda que digo: Se sua banda favorita for fazer show em um lugar assim, pule de felicidade!

O Show foi agitado, rápido e completamente maravilhoso. Saí ainda mais fã da banda e apaixonada pelo guitarrista gatíssimo, sorridente e com pose de rock star, Freddie. <3

DSC09030DSC09027

Decepção: Coldplay anunciar que vinha em 2013, e voltar atrás 3 dias depois. =(

> Melhor album do ano

Like i Used To de Lucy Rose

http://static.nme.com/images/gallery/LucyRoseLikeIUsedTo600Gb190912.jpg

Eu estou devendo, mas essa uma promessa! (Uhhh):

Vou tirar um dia da coluna Lendo e Ouvindo para falar dessa grande descoberta de 2012, Lucy Rose.

Ela tem uma voz suave, e uma música mais linda que outra. Seu primeiro CD, Like I Used to, saiu esse ano. O CD é tão especial que nem tenho uma música favorita, tenho umas 5!

Ela também é da cena folk inglesa, e dizem vai fazer uma participação no novo, e um muito aguardado (por essa pessoa), CD do Noah And the Whale.

Decepção: Babel do Mumford and Sons. Depois de três anos na estrada gravando o novo álbum, e do ótimo single ( I Will Wait), esperava grandes coisas desse album, que foi uma decepção. Em vários momentos, a impressão que dá é que se está ouvindo uma reeileitura de Sigh no More (primeiro álbum da banda), mais pobre e sem inspiração.

> Melhor Música do Ano

Eu pensei muito, mas não consegui pensar em uma música que seria a do ano. Nenhuma me marcou, mas deixo aqui Miss Atomic Bomb do The Killers, que vai fazer o meu 2013 especial fazendo show em São Paulo!

 

> Melhor Filme do Ano

Another Earth

http://3.bp.blogspot.com/-NRjtTq8ofZY/Ts_VgYlG7gI/AAAAAAAANME/OsV6dfT_cqs/s1600/another-earth-movie-poster-01.jpg

Em um ano em que o cinema não foi a minha prioridade, e que em muitos momentos e escolhas me fez esquecer até da sua improtância da minah vida, vem um filme pequeno e inesquecível como Another Earth.

Com certeza, é um que merecia todos os prêmios que pudesse ganhar.

Menção Honrosa: As Aventuras de PI, que segue com grandes chances ao Oscar.

Decepção: Magic Mike, quando nem 5 caras lindos e fortes fazendo strip-tease salvam o seu filme da total porcaria, você precisa rever seus conceitos.

Sem estória, sem um roteiro consistente, o filme que prometia tanto, entregou pouco, quase nada.

> Melhor Série

Downton Abbey

Eu nunca tinha assistido, aí resolvi ver se era bom. Não era bom.

Era incrível! Ainda me surpreendo como os roteristas conseguem nos deixar tão viciados e se improtar tanto com os personagens. Chorei como uma louca na 2° temporada, e terminei a 3° nessa semana. Agora é só esperar mais um ano (!!!) para poder me emocionar novamente.

Menção honrosa: Once Upon a Time, vi  que tinha pessoas que amavam e outras que odiavam, fui tentar a sorte. E não é que eu caí no time que gostou? Além disso, fico maravilhada com a explicação bem amarrada que vários contos tiveram, tipo o da Bella. Incrível!

Agradeço a todos por me aocmpnhar durante 2012, e que 2013 traga tudo o que está prometendo, e um pouquinho mais!

Um feliz, feliz, FELIZ 2013 à todos!

Fanny Ladeira

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

3

Doação de Marcadores - Encerrado

3 comentários
Atualizado em 06 de janeiro

Olá Pessoal!
Estou sumida, né? Eu sei e tenho até vergonha do tempo que fiquei longe daqui, mas foi por motivos diversos.
Mas hoje, vim por um assunto bom: tenho vários marcadores repetidos que separei semana passada, mas ao invés de guardar para promoção ou até mesmo sortear, resolvi fazer diferente.
Resolvi abrir para doação, para vocês leitores assíduos ou não desse blog.
Já adianto que é uma DOAÇÃO.
Os marcadores escolhidos serão enviados pelo correio ( não vou prometer datas, mas até o final de janeiro saí todos daqui), sem custo para o solicitante.
Não é sorteio, não precisar seguir ninguém (mas quem sentir o coração tocado, para pode seguir o blog ali na barrinha blogger). Porém isso não é motivo de ‘desclassificação’ ou coisa do tipo.
Tenho alguns marcadores que sei que são mais desejados, para esses vou utilizar o critério de quem pediu primeiro, porém tentarei ser bem democrática e caso a pessoa tenha solicitado dois ou mais que sejam muito procurados, tentarei dividir dá melhor forma possível. Afinal, isso é para ajudar e não para gerar atritos.
Por isso nos comentários, peço que você preencha com os 10 marcadores que gostaria, em ordem de preferência.
Isso porque caso não tenha muitas solicitações, poderei dividir de forma prática.
Rafa – Minha história
Lucy destesta cor de rosa
Pessoas inteligentes sabem o que querem
4 Vampire Kisses
O sétmo Selo
Paixão de primavera
O caso do elefante dourado
2 Um dia
2 Como mudar uma história de dragão
Como sobreviver sendo uma menina
3 filhos do éden
2 Fallen
O filho de Netuno
2 Radiante
3 Crescendo
2 Cinquenta tons mais escuros
2 Elixir
Diário de Uma Paixão
*Os que tem marcado um número na frente, são as quantidades que tenho.
  
Além desses da lista, a pessoa receberá outros que são de blogs ou da Saraiva e tenho repitido aqui.
Por favor, além da lista dos marcadores, colocar uma forma de contato, para possa depois solicitar o seu endereço.
Feliz Natal!
Fanny Ladeira

_______________________________________________________________________________________________________________________________

DOAÇÃO ENCERRADA!

Meninas, estarei entrando em contato essa semana para solicitar o endereço de envio. Obrigada


















segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

0

Resenha: Pode Beijar a Noiva

0 comentários

http://1.bp.blogspot.com/-WXJvUIxMZ2M/ThNtfGpxXOI/AAAAAAAAC3Q/9OFzCoEnJaw/s1600/Pode+Beijar+A+Noiva.jpgLivro: Pode Beijar a Noiva

Autora: Patricia Cabot

Editora:Essência

Nota: 2,0 estrelas

Apenas um homem poderia propor a ela casamento...

Emma Van Court, dama de uma família londrina, jamais esperava ficar viúva e sem vintém na aldeia escocesa de Faires. E quando uma fortuna lhe foi prometida, se ela tornasse a se casar, a bela professora deparou-se com um mosaico de homens solteiros lutando por suas atenções, seus pretendentes iam desde o pastor local até um detestável barão.
Um doce beijo selaria aquele amor...

James Marbury, conde de Denham, era moderno e sofisticado... e totalmente desacostumado às estradas lamacentas e aos telhados de palha da pequena Faires, para onde viajara depois de saber do falecimento de seu primo Stuart. E logo fica ansioso ao perceber que o intenso amor que sentira pela viúva Emma continuava tão forte quanto antes. Diante de tantos homens solteiros que a cortejavam, James encontrou uma única solução: oferecer-se como marido temporário para Emma... Mesmo que secretamente ele desejasse fazer seus votos durarem para sempre.

Quando me falaram que esse era o livro mais fraco da Patricia Cabot, fiquei triste.

Uma porque estou a poucos livros, na verdade um livro (Little Scandal), de terminar a sua pequena biografia. Além de não querer ficar sem livros dela, eu ainda teria que me acostumar com o fato de que esse era fraco.

Não me falaram errado, é sim.

O livro em vários momentos, tanto no comço e mais profundamente no final, não é bem costurado e sem as cenas tão bem escritas, que vimos em tantos outros livros da Patricia.

Nem por isso, o livro chega a ser completamente um desperdício. Ele tem ótimas cenas e o casal de protagonistas é muito fofo. Tanto Emma quanto James são irresistíveis, mas achei que se tivessemos mais tempo, conseguiriamos acostumar e torcer mais por eles.

A trama recheada de personagens, mas curta, não ajuda a termos tempo o suficiente com cada um, e assim torná-la ainda mais ‘rala’.

Para quem curte a Patricia, vale a pena ler porque tem vários traços dela nele, mas nada completo como estamos acostumadas.

Eu não sei o que levou ao fato desse livro ser tão mal trabalhado, porque todos os outros livros da patricia tem um cuidodo muito especial.

Porém o que me deixa mais triste, é de ver uma estória que tinha tudo para ser ótima ser desperdiçada dessa forma.

Fanny Ladeira

cabotmegPatricia Cabot, é a própria Meg Cabot. Quando começou a escrever esse tipo de gênero de livro, Meg achou melhor usar um pseudônimo  por causa da sua avó ( ela não queria, que a avó descobrisse que ela estava escrevendo livros assim), depois acabou revelando que a sua avó não só adorava os livros, como fazia Clube do Livro com eles. Meg escreveu 6 romances históricos, e desde que começou a fazer sucesso como escritora teen, abandonou o gênero( pena!). Meg mora em Key West, Flórida com o seu marido Ben.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

0

Resenha: O outro pé da sereia

0 comentários

148_Livro_o_outro_pe_da_sereiaLivro: O outro pé da Sereia

Autor: Mia Couto

Editora: Companhia das Letras

Nota: 3,5 estrelas

Em 2002, dez anos depois dos acordos de paz entre governo e forças rebeldes, Moçambique é um país em recuperação. Um pastor e sua mulher, Mwadia Malunga, encontram uma imagem de Nossa Senhora nas margens de um rio da pequena localidade de Antigamente. O curandeiro do lugar diz que eles conspurcaram o espírito do rio e correm grande perigo. Mwadia decide então voltar a Vila Longe, onde deixara a família, para abrigar a estátua.

Curiosamente, esta é a estátua que segue, em 1560, com o jesuíta Gonçalo da Silveira, ao partir de Goa, na Índia, para converter ao cristianismo o imperador do Reino do Ouro, ou Monomotapa, situado na região fronteiriça entre os atuais Zimbábue e Moçambique. A imagem de Nossa Senhora é chamada pelos escravos da nau portuguesa de Kianda, uma divindade das águas; e os africanos a tratam por Nzuzu, rainha das águas doces.

De volta ao século XXI, a pequena Vila Longe agora se articula para receber a visita de um casal de antropólogos americanos, revelando personagens exemplares e muito divertidos do cotidiano moçambicano - e do universo literário de Mia Couto. As relações de sincretismo religioso e o choque cultural entre portugueses, indianos e africanos estão presentes o tempo todo na narrativa, e os estrangeiros completam o caldeirão cultural e religioso do local, num retrato ao mesmo tempo cômico e desolador do mundo globalizado.

Mwadia ("canoa", na língua si-nhungwé), a mulher que encontra a imagem e resolve voltar a Vila Longe, é a personagem que liga esses dois momentos históricos. Como uma canoa que pudesse fazer a travessia entre passado e presente, entre Portugal, Índia e Moçambique, ela terá de encontrar um lugar para abrigar a imagem santa. E talvez, assim, localizar um outro pé, concreto ou metafórico, para essa sereia que une os povos da região.

Eu não sei vocês, mas eu utilizo (MUITO) a biblioteca da minha cidade, Jundiaí. Ela ganhou um espaço maior agora, mas tenho que confessar, que sempre foi provida de um catalogo robusto e atual.

Em uma das minhas visitas, resolvi pegar um livro bem diferente do que sempre pego. Sem qualquer referência, o escolhido da vez foi o O Outro pé da Sereia, do moçambicano Mia Couto.

Sei que a Companhia das Letras lança vários livros que não são direcionados para o público em geral, mas que fazem sucesso entre os críticos e amantes da literatura. Achei que esse era um caso, e resolvi arriscar apesar de nunca ter ouvido falar nada do livro, e deixe ser honesta, do autor.

Quando comecei a ler, já me encantei com a narrativa. É diferente para quem está acostumado a ler YA, mas não é difícil, e abre a mente para vários aspectos da cultura de um lugar tão distante, e por causa da litertura tão perto.

Estava na metade, quando vi que Mia Couto iria participar do Roda Vida, que ele estaria no Brasil lançando seu novo livro. De uma forma surpreendente ( e um pouco assustadora), aquele escritor que escolhi por acaso, estava de repente em todos os lugares! HA

Brincadeiras a parte, realmente gostei de como o livro é diferente de tudo que li. Os personagens podem ser um pouco confusos, por casa ds nomes e das aitutudes, por isso é preciso ficar atento nos tempos de cada passagem para não se perder na narrativa.

E em outro momentos, você quer simplesmente se ‘perder’ dentro da narrativa, que tem várias quotes maravilhosas,espalhadas dentro das suas mais de 300 páginas.

Aém do mais, o livro me deu inspiração para começar um projeto pessoal, que quem sabe um dia compartilho aqui.

É claro que, temos a tendêndia de escolher livros que são mais póximos do nosso gosto, mas vale muit a pena tentar a sorte e buscar outras coisas diferentes.

Quem sabe você até gosta?

Fanny Ladeira

mia_coutoMia Couto, nasceu na Beira, em Moçambique, em 1955, e é um dos principais escritores africanos, comparado a Gabriel Garcia Márquez, Guimarães Rosa e Jorge Amado. Seu romance Terra sonâmbula foi considerado um dos dez melhores livros africanos do século XX. Em 1999, o autor recebeu o prêmio Vergílio Ferreira pelo conjunto de sua obra e, em 2007 o prêmio União Latina de Literaturas Românicas.