quarta-feira, 29 de agosto de 2012

0

Resenha: Presentes da Vida

0 comentários

Livro: Presentes da Vida

Autora: Emily Giffin

Editora: Novo Conceito

Nota: 5 estrelas

Adicione no Skoob!

Essa resenha contém spoiler para quem não leu o livro O Noivo da Minha Melhor Amiga

Darcy Rhone sempre teve todos os homens aos seus pés. Tinha um emprego glamoroso, um seleto círculo de amizades e um noivo perfeito, Dexter Thaler.

No entanto, tudo mudou quando Darcy se envolveu com o melhor amigo de seu noivo... Seu noivado acabou e perdeu sua melhor amiga, Rachel.

Incapaz de assumir responsabilidades e de enfrentar todo esse mal-estar, Darcy foge para Londres, para a casa de um amigo de infância, Ethan, imaginando que poderia passar uma borracha em tudo isso.

Mas, para seu desânimo, Londres se torna um mundo estranho, onde seus truques de sedução não mais funcionam e onde sua sorte parece ter se evaporado. Sem amigos nem família, Darcy precisa dar novo rumo à sua vida e, assim, começa uma linda trajetória rumo ao crescimento e ao amor.

Sei que muitas pessoas amam o livro, mas vou confessar. Quando li O noivo da minha melhor amiga, odiei várias coisas, inclusive toda a temática do livro.

Li faz anos, então posso ter tido uma ideia errada da estória, mas para mim era horrível o fato de Rachel ter traído a melhor amiga, Darcy. Ela podia ser invejosa, chata e muitas vezes insuportável, porém têm os dois lados. Se para Rachel a amizade não era sadia, já devia ter sido cortada há muito tempo.

Bem no comecinho desse livro, Darcy diz a seguinte frase: “Eu cometi alguns erros, mas não traí a nossa amizade” E eu concordo plenamente!

Ainda continuo achando a atitude de Rachel errada, mas agora carrego menos raiva dela e de Dex, por tudo que aconteceu. Isso só mudou após ter lido Questões do Coração, Presentes da Vida e por após ter tido tempo de conversar com a escritora Emily Giffin, ano passado em São Paulo.

Não vou defender Darcy falando que ela é uma santa, porque ela mesma sabe que isso não é verdade. Mas não somos divididos em más e boas pessoas, todo mundo tem os seus demônios, e o mais importante, todo mundo tem um lado humano. Quem já conhece, sabe que Emily tem o talento de escrever uma estória real com sensibilidade e uma maestria única. 

Não sei se foi o caso, mas sinto que ela sentiu a necessidade de escrever um livro sobre a Darcy, para mostrar isso.

Eu ri muito, e tive que me segurar para não chorar feito uma criança no meio do trem (terminei de ler o livro indo para São Paulo).

Eu amo ler livros de pessoas que passam por uma transformação, e Presentes da Vida é em uma palavra: Perfeito!

Não posso contar mais detalhes sem entregar detalhes da estória, então vou evitar, mas é uma jornada incrível.

Ethan ganhou o prêmio de um dos melhores mocinhos dos livros. Honestamente, amor é amor, mas eu não trocaria Ethan por Dex por nada nesse mundo. (Sei que estou pisando em um terreno perigoso, porque todo mundo ama o Dex).

Ethan demonstra, não com palavras mas com atitudes (tipo o Mr. Darcy de Orgulho e Preconceito, sabe?), que é um dos homens mais especiais de todos os tempos. Quanto a Darcy, você vai chegar ao final do livro se não amando, pelo menos tendo uma simpatia por ela.

Se já considerava Emily uma autora incrível, a cada novo livro, tenho mais certeza disso.

Isso porque o livro foca em vários aspectos da gravidez, e de como apesar de estar em uma situação avessa, esse filho vem como um ‘presente’ para Darcy. Todos os sentimentos, medos e mudanças dessa jornada que muitas mulheres passam , é descrita de uma forma única.

Assim como com A mulher do Viajante do Tempo, que firmei o compromisso de voltar a ler quando estiver apaixonada. Fica aqui o compromisso de reler Presentes da Vida, quando estiver grávida (vai demorar, mas um dia!)

Cheguei ao final do livro com um sorriso no rosto, não porque o livro é bonito e fofo (apesar dele ser mesmo!), mas porque li um ótimo livro.

E toda book-a-hollic, sabe como é produtivo pegar um livro, que te motiva a ler cada vez mais.

Thank you, Emily!

Fanny Ladeira

  

Emily Giffin, é uma escritora americana de sucesso. Ela era advogada, e deixou a sua carreira para se tornar escritora. Entre os seus sucessos, se encontram além de Presentes, O noivo da minha melhor amiga, Questões do Coração, Ame o que é seu, e os ainda inéditos no Brasil, Baby Proof e Where we belong. Giffin mora em Atlanta com o seu marido e seus 3 filhos. Ano passado, ela passou pelo Brasil e tive a oportunidade de conhece-lá, como foi esse encontro você pode ver Aqui.

sábado, 25 de agosto de 2012

0

Lendo e Ouvindo: A mágica dos shows!

0 comentários

 

Oi Galera,

Estou meio sumida, mas estou trabalhando muito, estudando um pouquinho e procrastinando muito. Mas isso não significa, que não fico mal de não postar aqui tanto quanto deveria. Estou tento reverter isso, e essa semana já começo a colocar isso nos eixos.

Para o post de volta, queria falar sobre uma das coisas que mais amo nesse mundo: Shows.

Hard Rock Hotel Concert Tickets

Se vocês pararem 10 minutos para conversarem com a minha mãe ela vai falar “A Stefânia (eu Fanny), só pensa em livros, shows e viajar”,... Verdade! Mas em um mundo cheio de opções erradas, eu até que tenho umas ótimas prioridades, não

Alguns sabem, mas eu moro em Jundiaí atualmente, porém morei em Varginha os primeiros 18 anos da minha vida. O pessoal de lá fala que Varginha está em uma posição privilegiada no mapa, porque está no meio entre São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Vocês sabem o que isso significa? Que estava longe de tudo!!!

Sempre sonhei em ir a shows internacionais, e lembro que uma das minhas primeiras comunidades que entrei quando ingressei no Orkut foi: “Eu quero ir em um show do Coldplay”. Rsrsrs

Quando me mudei para Jundiaí, firmei a promessa de ir pelo menos um show internacional por ano. Hoje, quase 7 anos depois já fui em 10, sendo que um deles foi o Festival Planeta Terra, onde vi o show de várias bandas legais! Para ler sobre essa aventura, clique aqui!

E entre essas bandas está o Coldplay, que fez jus a comunidade que eu entrava lá em 2004. ( E que volta ano que vem! =D )

Porque eu contei tudo isso? Porque a experiência para mim tem um sabor a mais.

Além de todo o sentimento que os shows trazem, eu ainda sinto como uma conquista realizada.

Cada um deles é uma conquista!

Por causa da crise no mundo, nos últimos anos o Brasil virou rota obrigatória de vários artistas, inclusive vários super conhecidos. Por exemplo, a Madonna já passou no país com as suas 3 últimas turnês, Festivais já virou uma coisa corriqueira por aqui, o Black Eyed Peas praticamente já está morando no país, assim como André Rieu, que descobriu uma mina de ouro em terra brasileiras.

Isso trás muitas coisas duvidosas, mas abre a oportunidade de vir gente muito boa na roda. Como é o caso do Keane e Maroon 5, que tocam amanhã, dia 26 de agosto em São Paulo.

Quem é fã de uma banda, cantor ou cantora sabe: É tão bom cantar a plenos pulmões junto com uma multidão que ama as mesmas músicas que você!

Eu nunca fui fã de balada, mas como adoro o clima de shows! Mesmo quando você tem os inconvenientes, quando a banda sobe no palco tudo vale a pena! Tudo mesmo!

Chuva, lama, sede, fome e cansaço. Quando os primeiros acordes daquela música (que você ouviu 1 milhão de vezes no seu carro, quarto, mp3) sobe pela primeira vez, a sensação é de que você faria tudo aquilo e mais um pouco, só por aquele momento.

Deve ser difícil enfrentar uma situação de muita adversidade quando não é fã de uma banda, mas quando você enfrenta tudo e ainda assim é o melhor show da sua vida, aí sim você sabe o quanto aquela banda significa para você.

Ainda preciso tirar um dia da coluna para falar do The Killers, e aí conto para vocês como foi o show deles, que se encaixa perfeitamente no que falei acima.

Eu nunca fui a shows em outros países, mas a plateia ser composta por nós, calorosos brasileiros, muda ainda mais o clima. E mesmo imaginando o que irá encontrar, cada show é diferente.

Com o The Vaccines, fiquei tão próxima do palco que fiquei até boba. (Foi no Joia, casa nova de shows ali na Liberdade, que é pequena, e por isso ótima)

Já com outros shows como Coldplay e Beyoncé, fiquei na Arquibancada Laranja do Morumbi, ou seja, eu vi pontos no palco que acredito que eram os artistas. =P

Já fui a shows gratuitos (Norah Jones e Cat Power), em shows que paguei quase nada (U2 no Morumbi, por R$ 60,00), mas apesar disso, depois de sair dali, sabia que pagava o preço que for por aqueles espetáculos.

Por isso, falo e repito para todos: Se sua banda favorita vem ao Brasil ou na sua cidade (se ela for nacional) seja ela quem for. VÁ.

Nada, nem ninguém, poderão explicar a MARAVIHOSA sensação de estar com a sua banda do coração, com os outros fãs ao seu lado, curtindo os momentos que podem se tornar os melhores de suas vidas!

Fanny Ladeira

domingo, 5 de agosto de 2012

1

Especial 50 tons de cinza: 50 vezes Grey

1 comentários

  banner post-1 em courier new 

Tenho certeza que na cabeça de muitas pessoas, há várias questões ainda em aberto sobre o sucesso de Cinquenta Tons de Cinza.

Sendo um livro que trata de vários assunto um pouco mais polêmicos, é normal que muitas pessoas fiquem um pouco receosas e não consigam entender o porquê de tanto buzz.

Para encerrar as postagens do Especial 50 tons de Cinza desse blog, e elucidar algumas dessas dúvidas, resolvi convidar duas pessoas (+ me) que leram a série, para contar um pouco mais, sobre o que tem de tão especial nesse livro:

Nati Rivero – É estudante de Administração e mora em São Paulo. Leitora ávida e companheira das nossas leituras da série Cinquenta Tons e muitos outros livros. Conheci a Nati, durante a sessão de autógrafos da Emily Giffin, ano passado em São Paulo.

 

 

Minha fotoThaís da Mata – É a minha parceira do especial Cinquenta Tons! Na reta final da faculdade de economia, ela mora em São Paulo também e tem sido uma ótima companheira de livros, encontros e show!

 

 

Cópia de DSC05671

 

Fanny Ladeira – Essa que vós fala! Sou formada em Comércio Exterior e moro em Jundiaí.

 

 

 

Como você descobriu a série?

Thaís: A culpa é da Fanny e da Nati. Eu não estava sabendo nada do reboliço que esse livro estava causando. Na verdade eu estava evitando ler livros para dedicar mais tempo para a faculdade. Mas de repente eu recebi uma enxurrada de e-mails, tweets e até no face, dessas duas falando do livro que elas tinham começado a ler e queria que eu me juntasse a turma de comentários dos livros. A curiosidade, e o dom de convencimento delas logo fizeram com que eu comprasse o livro e começasse a ler.

Fanny: Eu fui curiosa. Depois de ler várias reportagem falarem que o livro era o mais erótico de todos os tempos, resolvi ler para ter certeza como americano é falso puritano. Aproveitei que a Nati estava começando também, e lemos juntas.

Nati: Eu já tinha ouvido falar de uma fanfic chamada MOTU (Master of the Universe) e sempre quis ler,mas sempre deixava de lado,quando eu soube que a fic tinha virado livro,eu pensei: essa é a minha chance.Após isso foi questão de dias para ir atrás do livro e começar a leitura.

0

Como você descreveria o livro para alguém?

Thaís: Depende da pessoa que eu vou estar descrevendo. Porque isso muda o tom que vamos apresentar o livro. É um livro que dependendo da maneira como você vai apresentá-lo, acaba por determinar se a pessoa vai gostar ou não.
Para minhas amigas próximas eu descrevi como um romance repleto de cenas hot, e que valeria a pena ser lido pelo seu conteúdo sexual.
Para outras pessoas como a minha mãe disse: "É o livro sobre uma garota que se envolve com um cara mais velho. Só que ele acaba por introduzir num relacionamento possessivo e controlador. Ah e ele também tem tendências sadomasoquistas e de bondage. Mas nada que assuste".

Fanny: Eu admito. Tenho vergonha de falar de sexo ou qualquer coisa relacionada com a maioria das pessoas. Então eu apresento o livro como uma estória envolvente com várias cenas de …. ( eu não consigo falar a palavra)…hhahhahaha. Mas estou recomendando para todas as minhas amigas, conhecidas e até para as inimigas. Queria recomendar para a minha mãe, mas tenho vergonha! *_*

Nati: Um livro com cenas eróticas voltadas para o universo do BDSM, mas que também possui um romance avassalador, e é claro explicaria um pouco sobre a personalidade do Christian, sobre como ele é poderoso,dominador e envolvente.

Christian Grey, defina esse personagem para você:

Nati: Como eu disse acima,ele é um personagem envolvente e único,ele é um personagem tão complexo que os sentimentos,os meus no caso,se tornaram complexos também. Em certos momentos do livro eu ficava indignada com certas reações,em outros momentos eu queria ter um Christian para mim e na maioria deles, eu suspirava. Christian Grey é TUDO DE BOM! (momento fan girl)

Thaís: Perturbado, complicado, menino. Ele é tão difícil de se definir que eu fiz um post só para isso no blog. VEJA AQUI“Oh Christian... my possessive, jealous, control freak Christian”.

Fanny: Fifty Shades. LOL Mas realmente não há para onde correr quando assunto é o Christian, enigmático, difícil de se entender, ciumento e charmoso de morrer. E Ana em diversas cenas é muito forte. Eu não sei se teria a mesma coragem de recusar alguma oferta de um homem como ele.

a87f5eb94b4c901aca89518999bc1bcf

 

Há muitas pessoas que tem preconceitos com livros mais picantes, como Cinquenta Tons. Como leitoras desse gênero, como você se sente em relação a isso?

 

Nati: Eu sou uma leitora muito eclética, então não tenho preconceito com livros mais picantes,eu acho que esse tipo de leitura serve para mostrar principalmente as mulheres que sexo faz parte da vida e que a gente não precisa ficar reticente ao falar desse assunto. O livro abre as portas para as mulheres criarem coragem de expor seus sentimentos e opiniões. É claro que eu respeito que não gosta desse tipo de leitura, existem pessoas que preferem ler algo mais brando,isso é do gosto de cada um, o que não pode é uma mulher ser julgada de forma pejorativa por ler livros eróticos. Isso sim é preconceito!

Thaís: Gosto é pessoal e não se discute. É normal sentir preconceito, mas não custa nada dar uma chance e tentar ler antes de falar algo. Muitas pessoas não têm a cabeça aberta o suficiente para expandir os horizontes, para este tipo de historia, que simplesmente não atrai. Do mesmo jeito que não gosto de alguns gêneros de leitura a pessoa pode não gostar também.

Fanny: Eu era uma dessas pessoas que tinha preconceito em relação ao gênero, e hoje é dos meus favoritos! Assim como tudo na vida, preconceito pode te afastar de coisas boas. Eu não estou dizendo que você tem que gostar, só estou falando que ás vezes vale a pena dar uma chance para algumas coisas. Pra mim, foi muito interessante quebrar essa barreira na minha vida e conhecer outras coisas.

50_Shades_Of_Gray_Public

O Livro vai virar filme, o que você espera dessa adaptação?

Nati: Essa pergunta é excelente.Fifty Shades é uma trilogia que eu adorei (muito), então eu fico um pouco receosa sobre o filme, principalmente em relação a escolha do elenco, afinal todo leitor imagina o Christian e a Ana de uma forma, e na hora do filme não existe isso, são os atores escolhidos e pronto. Se eles não souberem passar a essência do Christian ou da Ana, isso será muito decepcionante!

Thaís: Outro que mereceu um texto no blog só para isso. VEJA AQUI!

Eu estou extremamente receosa quanto a adaptação. Por mais que tentem, jamais vão retratar aquilo que o livro tem de bom sem torná-lo obsceno.
Fico imaginando a primeira cena no quarto vermelho da dor, que é tipo a melhor! Mas que de maneira nenhuma vai transparecer as sensações que tive lendo o livro.

Fanny: Eu sou a eterna otimista. Mas nesse caso,eu só espero que eles não façam um filme extremamente ruim. Que alguma coisa da coisa toda dê para se salvar.

Porém nesse caso, sem nem antes ver o filme, posso afirmar: leia o livro porque vai ser muito diferente.

O que você diria para as pessoas que estão receosas de ler o livro?

Nati: Deixem o receio de lado e venham conhecer o Christian Grey! =D... Esse livro irá mudar a mente de vocês,de uma forma positiva ou negativa. Eu espero que seja positiva.rsrsrs...

As pessoas podem esperar muito mais romance do que relacionamentos sexuais. Se bem que ha cenas memoráveis nos próximos livros. Mas, mais importante, as pessoas começarão a entender porque o Christian é desse jeito perturbado, e como ele e a Ana amadurecem como pessoas. E como eles aceitam os próprios defeitos.

Thaís: As pessoas não devem ficar receosas, afinal de contas no fundo é só uma estória. Se não gostar, feche o livro e vire a página.

Fanny:Feche os olhos e vai…hahhahaha! O máximo que vai acontecer é vocês não gostarem.

Spoiler para quem não leu 1° livro

 

Qual a cena e frase favorita do livro?

Thaís: A cena... Hum hum. Não sei porque, mas eu adoro a cena do sorvete. Realmente é algo que me deu muitas ideias.

“Sometimes i wonder if there’s something wrong with me. Perhaps I’ve spent too long in the company of my literary romantic heroes and consequently my ideals and expectations are far too high. But in reality, nobody’s ever made me feel like that.”

Amo porque eu me identifico pessoalmente com essa frase. Foi uma justificativa que eu nunca tive a inteligência compor.

Fanny: Minha cena favorita, é quando Ana manda o e-mail de brincadeira falando que ‘Foi bom conhecê-lo’ e ele aparece no seu apartamento, quando ele fala “Resolvi vir lhe lembrar o quão foi bom me conhecer”..*abana*. Também gosto das cenas finais, muita carga emocional que estava ‘pairando’ pelo livro inteiro.

I don’t make love Anastacia. I fuck, hard.”

Nati: Que pergunta difícil, eu tenho várias cenas favoritas, mas eu vou citar apenas duas, enquanto uma me fez gargalhar, a outra me levou as lágrimas. A cena que me fez rir horrores e ainda ficar com um sorriso bobo nos lábios, foi quando a Kate, melhor amiga da Ana, resolve apresentar ao Ray, padrasto da Ana, o namorado da filha. Impossível não rir da reação da Ana. Em contrapartida a cena que me emocionou muito foi a última cena do livro, essa infelizmente eu não posso descrever porque acabaria com o suspense. Todavia eu posso dizer que é heartbreaking!

As minhas frases favoritas são:

“I’ve come alive since I met you.” 

"Laters,baby"

"My palm is twitching"

“Oh, Anastasia Steele, did you just roll your eyes at me?

Impossível escolher uma só.

 

936047-fifty-shades-of-grey

O que as pessoas podem esperar dos próximos livros?

Thaís: As pessoas podem esperar muito mais romance do que relacionamentos sexuais. Se bem que há cenas memoráveis nos próximos livros. Porém, mais importante, as pessoas começaram a entender porque o christian é desse jeito perturbado, e como ele e a Ana amadurecem como pessoas, além de ver como eles aceitam os próprios defeitos.

Fanny: Os próximos livros seguem uma linha muito bacana, e não ficam na mesmice. Você consegue sentir que cada novo desafio para Ana e Christian é uma oportunidade para o crescimento psicológico e sexual deles.

Nati: As pessoas podem se preparar, porque nos próximos livros o Christian e Ana irão enfrentar diversas situações, quem pensa que a vida do casal será fácil,está muito enganado!

Romance,descobertas/flashbacks,confidências,uma vingança implacável e uma notícia bombástica. Não percam tempo e vão correndo ler Fifty Shades,Darker e Freed.

Para encerrar eu gostaria de deixar um trecho que eu adorei,principalmente pelo uso do trocadilho Fifty Shades (nome da série)

“That’s a whole lot of Christians.” “I’d say at least fifty.” He laughs. “Fifty Shades,” he murmurs into my hair. FREED,Fifty Shades <3

 

Queria agradecer IMENSAMENTE as meninas, que não só me aguentaram durante a leitura dessa série, mas que também dispuseram do precioso tempo delas para reponder as perguntas.

Laters Baby! =)

Fanny Ladeira

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

2

Especial 50 tons: O elenco dos meus sonhos

2 comentários

 

*Atenção Cinquenta tons de cinza é um livro para adultos, e seu conteúdo não é apropriado para menores de idade, e também para quem não curte livros eróticos sensuais.

banner post-1 em courier new

Foi inevitável. O livro faz sucesso e os seus direitos já são vendidos para uma comentada e esperada lucrativa adaptação cinematográfica. E o projeto de Cinqüenta Tons de Cinza já está a todo vapor.

Apesar de haver vários rumores, ainda não há diretores e roteiristas confirmados para o projeto, o essencial para se começar tudo.

Eu sei que cada um tem a sua visão de como deveria ser os atores, por isso não me matem se vocês acham que a pessoa que eu escolhi não é a correta, mas a essa altura do campeonato estamos trabalhando somente com suposições.

Se fosse para lançar o elenco dos sonhos, DOS SONHOS mesmo, acho que esse filme deveria ter sido feito a uns anos atrás, para ter Natalie Portman e Christian Bale como Ana e Grey.

http://lucasfilmes.files.wordpress.com/2011/01/bale1.jpg

 

 

http://1.bp.blogspot.com/-9KeN39cY5Ok/T6az2PVsirI/AAAAAAAAATI/9gyzs4KUcck/s1600/Fotos-Natalie-Portman-2011.jpg

 

 

 

 

 

 

 

Só não sei como filme vai ser fiel ao livro sem sair praticamente um pornô, mas em compensação, tem vários filmes com conteúdo forte por aí, e talvez eles consigam encontrar um ponto de equilíbrio.

Abaixo vocês conhecem o elenco que eu escalaria para o filme, não está completo com todas os personagens, mas é que eu tenho um problema em imaginar personagem que não são muitos descritos. Geralmente insiro uma imagem genérica na minha cabeça, e essa fica. Como é o caso do Taylor, que na minha mente vem sempre com um  rosto comum de ator de filme de espionagem.

Como o livro é muito focado na relação de Ana e Christian, vou ficar devendo a imagem clara que faço dos outros personagens.

Here we go!

 

Matt Bomer como Christian Grey

http://1.bp.blogspot.com/-8qPu7WOLKas/T6OxvA6Z-iI/AAAAAAAAASw/t6Ak1wLbmdU/s1600/MattBomer1.jpg

Esse está dividido. Tem gente ( como eu) que acha ele o mais PERFEITO para o papel, assim como tem gente que pensa exatamente o contrário. Mas ao imaginar o Christian eu pensei em um cara extremamente bonito, mas que a gente poderia encontrar no mundo, e Bomer se encaixa no meu perfil.

Alto, moreno e com olhos azuis, além de posar várias vezes com ternos ( por causa da sua série White Colar), ele seria a minha escolha para o papel do Mr. Grey.

Se não for ele, que ao menos seja o Henry Cavil.

Eu sei que tem muita gente falando nomes como o Ryan Gosling ( não acho que ele aceitaria o papel), mas pensar em Ian Somerhalder, e Alexander Skarsgård para o papel é obvio demais, sabe? Os dois interpretam tipos perigosos na TV, então é muito fácil pensarem neles, mas queria alguém que me surpreendesse.

Também Aceito: Jensen Ackles, Chris Evans e Brandon Routh.

 

Emilia Clarke como Anastacia

Emilia Clarke Beauty

Emilia Clarke é mais conhecida por interpretar a Daenerys Targaryen na mini-série Guerra dos Tronos, e para quem já assistiu a série, sabe que ela é uma atriz decente  e que não tem vergonha de tirar a roupa (característica essencial para o papel).

Além disso,apesar de estar em uma série de sucesso, ela é praticamente desconhecida do público geral, o que poderia ajudar a criar a áurea que precisamos para a Ana.

Ela é bonita, branquinha e você precisa ver essa menina ficar brava, Grey não vai ter nenhuma chance!

Outra que seria muito boa, mas teria que pintar o cabelo e não acho que aceitaria, Dakota Fanning. Iria chocar a sociedade ela em um papel assim!

Não tenho nada contra nenhuma atriz especifica nesse papel.

Também Aceito: Alexis Bledel, Lucy Hale e Emma Watson ( que seria ótimaaaaa, mas não acho que ela aceitaria também.)

 

Uma desconhecida como Katherine

Sou democrática e totalmente apoiava uma novata para o papel da Katherine.

James descreve ela como linda e loira, e temos várias candidatas por aí que estão precisando de uma chance ao sol.

Também Aceitaria: Britt Robertson, é um pouco novinha e dependendo quem for a Ana não vai bater as idades.

Britt Robertson

 

Na direção, Derek Cianfrance

Derek Cianfrance Picture

Não pode ser alguém com medo de mostrar pele, por que é a essência do livro! Uma das coisas que mais me preocupou em Jogos Vorazes , foi eles cortarem o livro inteiro por causa das cenas de violência. Elas estão mais brandas na tela, mais ainda estão ali.

E Derek Cianfrance, que dirigiu o filme Namorados para Sempre, que tem um clima de total realidade. A adaptação precisa de alguém que vai trazer toda a estória do casal para um plano mais real, aproximar mais do telespectador comum, e ao mesmo tempo mantendo as cenas fortes, que simplesmente fazem parte da estória.

Espero que, seja ele ou quem for o diretor responsável por esse filme, tenha o cuidado que ele mereça.

E pra você, quem é o seu elenco dos sonhos?

Laters Baby!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

27

Especial 50 tons de Cinza: Playlist do livro

27 comentários

*Atenção Cinquenta tons de cinza é um livro para adultos, e seu conteúdo não é apropriado para menores de idade, e também para quem não curte livros eróticos sensuais.

banner post-1 em courier new

  E.L. James cita muitas músicas no seu livro,e para ajudar a você que tem um pouco de preguiça de pesquisar elas, tá aqui a Playlist de Cinquenta Tons de Cinza.

Não revelei o momento em que toca cada uma, para evitar soltar Spoiler.

PlayList

Lakmé (Act I): Flower Duet

Flower Duet, é uma aria da Ópera Lakmé. A ópera composto por Edmond Gondinet foi apresentada em 1883, se passa na Índia do século XIX.

 

Sex On Fire - Kings of Leon

A banda de Nashville, é bem conhecida dopúblico, e aporta em terras brasileiras em outubro para o Planeta Terra 2012, que acontece Jockey Club em São Paulo.

“Lay where you're laying, Don't make a sound”

 


Adagio from Concerto No 3 in D Minor, BWV 974 - James Rhodes


Misfit - Amy Studt

“I don't wanna be in that game
Don't wanna follow the leader
No way”

 

I'm On Fire - Bruce Springsteen

No livro, Christian fala “tem que amar Bruce”, e tem que amar um cara que ama Bruce.

O ‘Boss’ do Rock e uma das lendas do bom rock ainda vivo, continua na ativa até hoje, fazendo grandes shows com 3 horas de duração e cantando como ninguém.

Vale a pena, conhecer o resto do trabalho dele.

I can take you higher, I'm on fire


The Lightning Strike - Snow Patrol

A banda tocou no Rock in Rio 2011, e volta ao Brasil em Outubro. Velha cohecida da galera que assiste muitas séries, a banda escocesa parece ter caído no gosto brasileiro.

 

Heitor Villa-Lobos: Bachianas Brasilerias No. 5 for voice and 8 cellos: Aria (Cantilena)


Witchcraft - Frank Sinatra

O mestre do jazz, não conheço muito do seu trabalho, mas as suas influências estão por todo lado.

“And I've got no defense for it,
The heat is too intense for it.
What good would common sense for it do”


La Traviata – Prelude

Adoro músicas instrumentais fortes e com essa estória fluindo, em várias situações a música é tão importante quanto qualquer outro elemento.

 

Toxic - Britney Spears

Nem vou comentar, mas tá no livro, entrou aqui! hahahha Brinks, até gosto da Brit, mas não é a minha favorita.

The Blower's Daughter - Damien Rice

Eu acho que tinha 16 anos quando ouvi essa música pela primeira vez, e mesmo após passar muito tempo, é incríel perceber o que ela ainda me faz sentir.

“Did I say that I loathe you?
Did I say that I want to
Leave it all behind?”


Canon and Gigue in D Major: I. Canon

Spem in alium - Peter Phillips and The Tallis Scholars

Só vou dizer uma coisa para quem já leu. Essa é a música que toca quando Ana está vendada na cama.

Feche os olhos e não diga se é a música perfeita para aquela ocasião!

 

 

24 Préludes, Op. 28, No. 4 in E Minor: Largo – Chopin

 

Espero que tenham gostado!

Laters Baby =)

Fanny Ladeira